Teste ergométrico

O teste ergométrico serve para a avaliação ampla do funcionamento cardiovascular, quando submetido a esforço físico gradualmente crescente, em esteira rolante. São observados os sintomas, os comportamentos da frequência cardíaca, da pressão arterial e do eletrocardiograma antes, durante e após o esforço.

Os principais objetivos do teste são diagnosticar e avaliar a doença arterial coronária. Avalia também a capacidade funcional cárdiorrespiratória; detecção de arritmias, de anormalidades da pressão arterial e de isquemia miocárdica; avaliar surgimento de sopros, sinais de falência ventricular esquerda e dos eventuais sintomas que podem acompanhar essas disfunções; avaliação funcional de doença cardíaca já conhecida; prescrição de exercícios físicos.

Indicações

A Diretriz do Departamento de Ergometria e Reabilitação da Sociedade Brasileira de Cardiologia sobre teste de esforço mostra que sua indicação é bastante ampla:

  • na Doença Arterial Coronária
  • na Hipertensão Arterial
  • nas arritmias
  • na população sadia ou aparentemente normal
  • Indicações especiais

Contraindicações

  • Portadores de doença arterial coronária que estão instáveis (sintomas progressivos ou que ocorrem em repouso, angina instável, infarto em evolução) ou que apresentam obstrução no tronco da artéria coronária esquerda ou equivalente;
  • Arritmias não controladas;
  • Miocardites e pericardites agudas;
  • Estenose aórtica grave;
  • Hipertensão arterial grave;
  • Embolia pulmonar;
  • Qualquer enfermidade aguda;
  • Limitação física ou emocional;
  • Intoxicação medicamentosa;
  • Gestação.

Preparo

  • No dia do exame, após o banho, não utilizar cremes, pomadas ou gel;
  • Vir ou trazer roupa confortável (agasalho/tênis).
  • Não fumar 2 horas antes e 1 hora após o exame;
  • Dieta normal 2 horas antes ou dieta leve 1 h antes do exame; o paciente não deve fazer o exame em jejum;
  • A suspensão de medicação em uso fica a critério do seu médico e na dependência dos objetivos do exame. Quando o objetivo é diagnosticar doença arterial coronária, caso seja possível, recomenda-se suspender medicamentos que possam mascarar as manifestações da doença, como betabloqueadores (atenolol, propranolol, metoprolol etc), inibidores dos canais de cálcio (diltiazem, verapamil) e vasodilatadores coronarianos (dinitrato ou mononitrato de isossorbida, nitroglicerina etc).
  • Recomenda-se ao paciente não expor o tórax desprotegido ao sol, até 72 horas após o exame, pois pode surgir irritação da pele, no local da colocação dos eletrodos.

Obs.: Endoscopia digestiva ou Colonoscopia não devem ser realizadas no mesmo dia do teste ergométrico.

Como é feito

O primeiro passo é coletar dados com o paciente e descritos no pedido médico para definirmos a indicação do exame, afastar contraindicações e estabelecer o protocolo ideal de esforço para cada paciente.

A seguir são colocados 10 eletrodos no tórax do paciente para o registro do eletrocardiograma. O paciente é colocado então na esteira rolante iniciando-se o exercício com o protocolo escolhido.

A interrupção do exame ocorrerá caso o paciente apresente grande cansaço ou exaustão, sintomas indicativos de anormalidades cardiovasculares, alterações compatíveis com isquemia ou alterações significativas do ritmo cardíaco.

Traçados eletrocardiográficos e medida da pressão arterial serão registrados antes do esforço, ao final de cada etapa do exercício e regularmente na recuperação.

Quais os critérios utilizados para dizer que o teste foi POSITIVO para presença de isquemia?

A interpretação do exame envolve múltiplos fatores: presença de sintomas, os níveis de pressão arterial, o comportamento da frequência cardíaca, a capacidade física, os distúrbios do ritmo cardíaco e as alterações do observadas no eletrocardiograma registrado durante o esforço.

Complicações

O risco de complicações graves como infarto, arritmias e parada cardíaca é muito baixo e menor do que 1 para cada 20.000 exames realizados.

Limitações

A sensibilidade (chance de o exame ser positivo quando a doença arterial coronária está presente) e a especificidade (chance do exame ser negativo quando a doença arterial coronária está ausente) do Teste ergométrico situam-se entre 70% e 80 %.

Algumas vezes, o teste ergométrico pode ser “falso-positivo”, especialmente nas mulheres, sem significar doença arterial coronária obstrutiva.

O Teste ergométrico pode ser realizado em associação a outros procedimentos?

O Teste ergométrico pode ser associado à realização de exame de Medicina Nuclear (Cintilografia de Perfusão Miocárdica associada ao Teste Ergométrico) e ao Ecocardiograma (Ecocardiografia sob Estresse Físico).

Localização

Rua Carlos Osternack, 111

Vila Placidina

Ponta Grossa - PR

 

 Dra. Brenda de Almeida Aguiar Diretora Técnica CRM 22029

Telefones

        (42) 3026-2600

        (42) 3026-2601

(42) 8824-9732